AIPA

canada - Portugueses recusam ser deportados sem filho mais novo

O consulado de Portugal em Toronto admitiu hoje que apenas pode "prestar algum apoio" à família portuguesa que recusa ser deportada sem o filho mais novo, um bebé com 11 meses. O caso, que está a ser acompanhado por jornais canadianos, envolve a família Moura, de origem açoriana, há seis anos em situação clandestina no Canadá. Nos finais de 2006, aquela família recebeu ordem de expulsão, após ver recusado um pedido de imigração ao abrigo do estatuto de refugiado. A família recusa-se a abandonar o Canadá sem o filho mais novo, Michael, nascido no país e com 11 meses de idade, em virtude de este não poder viajar por não ter passaporte válido emitido pelo Canadá. Perante a firme recusa dos pais em partir, as autoridades de imigração marcaram nova data, 27 de Fevereiro, para abandonarem o Canadá, soube a Lusa de fonte ligada ao processo. "O consulado português em Toronto tem os dados sobre esta família e conhece este caso. Estava previsto o seu regresso aos Açores a 24 de Novembro, tendo solicitado apoio à chegada junto do Governo Regional açoriano", referiu à Lusa fonte diplomática. Sobre as vias de acção, a mesma fonte explicou as autoridades portuguesas apenas poderão a prestar "apoio", uma vez que a deportação desta família decorre da aplicação da lei canadiana. Carlos e Sónia têm quatro filhos menores, dos quais Steven e Michael nascidos no Canadá. Até agora, Carlos trabalhava na construção civil em situação ilegal. Fonte: JN

Publicado: Tera, 20 Fevereiro, 2007

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter