AIPA

Solidariedade Ativa

Solidariedade Ativa

O que é?

“Solidariedade Ativa” é um projeto desenvolvido pela AIPA – Associação dos Imigrantes nos Açores -, que visa promover a solidariedade entre gerações e a interculturalidade, através da troca de mais-valias/serviços entre imigrantes e idosos residentes nos Açores. Surge no âmbito do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações.

O porquê do projeto?

Com particular incidência nas sociedades desenvolvidas assiste-se, hoje, ao fenómeno do envelhecimento demográfico, exigindo, por isso, novas respostas a abordagens que devem passar, entre outros aspetos, pela valorização das pessoas mais idosas, solidariedade inter-geracional, inclusão em todas as dimensões sociais e uma clara negação de todos os fatores de discriminação.

A progressão do envelhecimento demográfico tende a criar alguns problemas, nomeadamente a perda da autonomia, a solidão e a relativa dependência de terceiros para cumprir alguns compromissos do quotidiano. Por outro lado, assiste-se, hoje, a um número cada vez maior de imigrantes que, por diversas razões, se deparam com grandes dificuldades económicas vivenciado, por isso, algumas dificuldades no acesso a determinados bens e serviços.

Assim, a AIPA desenvolveu o presente projeto que pretende colocar os imigrantes e idosos em contato e a apoiarem-se mutuamente, assente numa lógica central de solidariedade inter-geracional em que todos nós, sem excepção, somos chamados a dar o nosso melhor para a construção de uma sociedade que valorize todos os indivíduos e que exerça uma solidariedade ativa.

Objetivos

Assente em dois grandes objetivos – promoção do envelhecimento ativo e da solidariedade entre a gerações e promoção da interculturalidade, o projeto “Solidariedade ativa” visa em termos mais específicos:

• Fomentar o exercício de uma cidadania ativa e solidária;

• Contribuir para um quotidiano ativo e preenchido por parte dos idosos;

• Combater o isolamento social dos idosos e os problemas e riscos que lhe estão associados;

• Promover o acesso a bens e serviços por parte dos imigrantes, numa lógica de troca direta.

• Possibilitar a aquisição de conhecimentos e experiência por parte dos imigrantes.

• Promover a partilha de vivências e práticas culturais.

Como funciona?

O projeto funcionará, com recurso a uma divulgação permanente junto dos potenciais parceiros, obedecendo à seguinte sequência:

Passo 1 – Sinalização dos idosos e imigrantes por parte dos diferentes parceiros (que poderá ser, por exemplo, feito através do Presidente da Junta, o Presidente do Centro Social, um familiar, um vizinho, etc.)

Passo 2 – Preenchimento da ficha de inscrição onde os interessados manifestam o interesse em integrar o projeto

Passo 3 – Avaliação preliminar e operativa - Análise do processo da inscrição por parte da equipa técnica da AIPA, que será feita com recurso a uma entrevista presencial aos interessados;

Passo 4 – Aprovação ou não da sua admissão no projeto;

Passo 5 – Emparelhamento de intervenientes;

Passo 6 – Acompanhamento e avaliação parcial;

Passo 7 – Avaliação final. Alguns exemplos de troca de serviços e de competências O imigrante inscrito no projeto poderá prestar apoio ao idoso, por exemplo:

• Nas tarefas domésticas elementares;

• Na confeção de refeições;

• Na ida às compras,

• No pagamento de contas;

• Na prestação de cuidados de saúde básicos, caso tenha competências na matéria; • Fazendo-lhe companhia em casa ou simplesmente para participar em algum compromisso social;

• Partilhando algumas dimensões da sua cultura.

O apoio prestado pelo idoso ao imigrante poderá assumir as mais diversas facetas, como por exemplo:

• Apoio habitacional (alojamento gratuito ou de valor simbólico/ reduzido);

• Apoio ao nível da educação (apoio na aprendizagem da língua portuguesa, explicações de diversas disciplinas, etc.);

• Apoio alimentar (cedência de bens alimentares ou refeições);

• Vestuário;

• Cedência de espaço para desenvolvimento de atividades, por exemplo de terra para cultivo de bens hortícolas;

• Ensinamento de ofícios tradicionais e aspetos da cultura açoriana.

As mais-valias acima identificadas não são exaustivas, pelo que por solicitação dos intervenientes no projeto (o idoso e o imigrante) outras poderão ser consideradas. Quem pode inscrever Idosos:

Todos os idosos residentes nas Ilhas da Terceira e de S. Miguel podem, à partida, participar no projeto. Porém, daremos prioridade aos idosos que cumpram cumulativamente os seguintes requisitos:

• Residentes na Ilha da Terceira ou São Miguel;

• Que vivam só ou com o cônjuge;

• Tenham dificuldades na execução independente de tarefas;

• Passem grande parte do dia desacompanhados.

Imigrantes

• Residir na Ilha Terceira ou em São Miguel;

• Maiores de 18 anos;

• Tenham consciência da responsabilidade da sua inscrição no projeto e do que a sua admissão implica.

Admissão

A admissão ao projeto será feita através de avaliação pela equipa técnica da AIPA com base nos parâmetros definitivos do regulamento e da idoneidade dos candidatos.

Onde funcionará o projecto?

Numa primeira fase o projeto funcionará nas ilhas de S. Miguel e da Terceira.

paladares do mundo

Agenda

3ª edição do "Paladares do Mundo"
  A AIPA, em parceria com o Grupo Anjos, promove a 3ª edi&cce...

Saber Mais

Subscreva a nossa newsletter