AIPA

Açores: Parlamento chumba proposta do BE de suspender a quota de imigrantes nos Açores

A Assembleia Legislativa dos Açores chumbou hoje, com os votos contra da maioria socialista e das bancadas do PSD e do CDS/PP, uma proposta do Bloco de Esquerda que propunha a suspensão da quota de imigrantes na Região. Os três maiores partidos com assento parlamentar no Arquipélago entenderam que não faria sentido alterar a quota à entrada de cidadãos estrangeiros, uma vez que, de acordo com os dados estatísticos, essa quota “nunca foi atingida”. A secretária regional do Trabalho e Solidariedade Social lembrou, durante a discussão da proposta no Parlamento, que em 2008, das 200 vagas para imigrantes previstas nos Açores, apenas surgiram 143 interessados, dos quais apenas 19 acabaram por chegar à Região. Ana Paula Marques adiantou que, por via disso, a quota de imigrantes na Região diminuiu para 90 vagas em 2009, das quais apenas três foram formalizadas. “O Governo rejeita, por isso, esta ideia”, anunciou, na altura, a governante, considerando a proposta do BE “demagógica”. Para Zuraida Soares, do Bloco de Esquerda, a existência de quotas à entrada de imigrantes acaba por funcionar, na prática, como uma forma de fomentar a “imigração ilegal” e a “exploração laboral”. Segundo a deputada bloquista, em Portugal, os imigrantes representam 6% do produto interno bruto, o que contribui para manter positivo o saldo da economia nacional e para garantir a “sustentabilidade da Segurança Social”. “É esta a realidade nua e crua, malgrado toda a demagogia populista e xenófoba que por aí anda à solta, procurando fazer dos imigrantes os bodes expiatórios da crise e do desemprego”, ressalvou Zuraida Soares.

Publicado: Quinta, 29 Outubro, 2009

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter