AIPA

Mário Machado condenado a 4 anos e 10 meses de prisão

A AIPA congratula-se com a sentença aplicada ao Mário Machado, constituindo-se um marco importante na história judicial portuguesa. A leitura da sentença dos skinheads foi lida hoje no tribunal de Monsanto e condenou Mário Machado, o principal arguido, a 4 anos e 10 meses de prisão efectiva Para além de Mário Machado, foram condenados a pena de prisão efectiva os arguidos Rui Veríssimo, Paulo Maia, Paulo Lama, Pedro Isac e Alexandre Dias. O acórdão do julgamento de Mário Machado, líder do grupo Hammerskins em Portugal, refere que este activista conotado com a extrema direita foi também condenado pelos crimes de discriminação racial, coacção agravada, detenção de arma ilegal, ameaça, dano e ofensa à integridade física qualificada. O acordão ditou, assim, seis penas de prisão efectiva, cinco absolvições e 17 penas suspensas, ficando os restantes arguidos obrigados ao pagamento de multas. Mário Machado já cumpriu cerca de um ano e meio de prisão pelo que não terá de cumprir a totalidade da pena agora proferida.

Publicado: Sbado, 04 Outubro, 2008

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter