AIPA

Fuga de imigrantes activos compensada por reformados

Migrações. O número de pensionistas europeus que procuram o Sul de Portugal continua a aumentar, segundo dados do SEF. Por outro lado, o País está a perder imigrantes económicos. Apesar da saída de brasileiros e ucranianos, o número total de estrangeiros aumentou 3,7%, entre 2006 e 2007 Comunidades típicas da imigração económica continuam em queda Em 2007, o número de estrangeiros residentes em Portugal ultrapassou 435 mil, segundo dados provisórios divulgados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Este valor representa um aumento de 3,7% face a 2006, mas a realidade parece ser mais complexa, pois a imigração económica diminuiu, aumentando os europeus idosos, sobretudo ingleses. Os dados podem sobrestimar o crescimento real, pois houve legalizações, o que se observa no forte aumento de títulos de residência. Apesar das limitações, os números do SEF relativos a 2007 permitem compreender melhor a população estrangeira em Portugal. A comunidade que mais cresceu em termos percentuais (67%) foi a romena. Por outro lado, as comunidades alemã ou britânica têm uma proporção invulgar de idosos. Paulo Mendes, da Plataforma das Associações de Imigrantes, considera que algumas comunidades, sobretudo de imigrantes de leste, estão a diminuir, ideia confirmada pelos números. Na sua opinião, o aumento de estrangeiros não está ligado à economia portuguesa, "pelo contrário", pois muitos imigrantes económicos procuram empregos em outros países. É esta a explicação para a forte queda no número de ucranianos, diz Paulo Mendes. A entrada dos romenos e de búlgaros no número de comunitários fez aumentar o número de estrangeiros com origem na UE, que já ultrapassou os 115 mil. Mas os outros países também cresceram. Destaque para o aumento muito significativo de ingleses, espanhóis, holandeses e alemães. Juntos, os estrangeiros destes quatro países somam 63 mil e tiveram um crescimento de 13,5%. Em 2006, 12,8% dos membros deste grupo tinham mais de 65 anos. A distribuição regional da população estrangeira também é surpreendente, pois Faro é o segundo distrito mais importante e o Porto está apenas em quarto lugar, atrás de Setúbal e Lisboa.

Publicado: Quinta, 26 Junho, 2008

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter