AIPA

Novos Passaportes de leitura óptica para S.Tomé e Príncipe

Os passaportes de leitura óptica, equipamento oferecido por Portugal a São Tomé e Príncipe, permitem "reforçar a livre circulação das pessoas" e trazem "maior segurança aos Estados", afirmou hoje na capital são-tomense o ministro da Administração Interna português. "Vivemos num mundo global e em sociedades de risco que exigem uma cooperação muito estreita dos Estados e sobretudo dos Estado amigos, como é o caso de São Tomé e Príncipe e Portugal", disse Rui Pereira, no final de um encontro que manteve hoje manhã com o primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada. Rui Pereira chegou quinta-feira à noite a São Tomé para uma visita de 24 horas, aproveitada para lançar, em conjunto com as autoridades são-tomenses, o sistema de passaportes com leitura óptica e que incluem dados biometricos. "Esses passaportes são passes para reforçar a liberdade de circulação das pessoas entre os Estados, mas também dar mais segurança aos Estados", sublinhou, lembrando que os dois países desenvolvem desde 2005 uma cooperação técnica em matéria policial e que, nesse quadro, Portugal ofereceu vários equipamentos e vai promover um programa de formação para melhoraros serviços aos cidadãos. Após o encontro com Trovoada, o ministro português reafirmou a disponibilidade de Portugal em estreitar a cooperação em matérias de segurança e de protecção civil, bem como no domínio dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras com o arquipélago. Quinta-feira, após aterrar em São Tomé, Rui Pereira lembrou que Lisboa vai acolher, a 08 e 09 de Abril próximos, uma cimeira dos ministros da Administração Interna da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em que serão discutidas "questões políticas". Rui Pereira adiantou que a cimeira incluirá também um seminário e um exercício prático de segurança.

Publicado: Sexta, 29 Fevereiro, 2008

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter