AIPA

Imigração impede diminuição da população em 2006

De acordo com os indicadores demográficos disponíveis relativos a 2006, o INE revelou hoje que a população portuguesa registou em 2006 uma taxa de crescimento efectivo de 0,28%, devido ao aumento do número de imigrantes que passaram a residir no território nacional. Pedro Duarte Segundo os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2006 verificaram-se 105 449 nados vivos e 101 990 óbitos de indivíduos residentes em Portugal, "valores que se traduzem numa taxa de crescimento natural de 0,03%". Assim, o INE precisa que "a taxa de crescimento efectivo da população foi induzida sobretudo pela taxa de crescimento migratório, que se situou em 0,25%". A mesma fonte alerta que em 2006 "registou-se o agravamento do índice de envelhecimento da população, que se situou em 112 idosos por cada 100 jovens, decorrente do declínio da fecundidade e do aumento da longevidade", sendo que o número de casamentos realizados (47 857) diminuiu e o número de divórcios decretados (23 935) aumentou, implicando que a relação entre o número de divórcios e o número de casamentos tenha passado de 46 divórcios por cada 100 casamentos em 2005, para 48 em 2006.

Publicado: Segunda, 25 Fevereiro, 2008

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter