AIPA

Guiné Bissau e Espanha assinam acordo para combater imigração ilegal

Os governos da Guiné-Bissau e de Espanha assinaram hoje um acordo de cooperação migratória entre os dois países com o objectivo de controlar a imigração ilegal para território espanhol. O acordo foi assinado pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros guineense, Roberto Cacheu, e o ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, Miguel Angel Moratinos, durante uma curta visita, de cerca de quatro horas, do chefe da diplomacia de Madrid à Guiné-Bissau. Segundo o ministro espanhol, o acordo assinado integra elementos na área da segurança, controlo de fronteiras e desenvolvimento económico. "É um acordo histórico que muda os contornos de combate à imigração ilegal", afirmou o chefe da diplomacia espanhola. "O acordo integra elementos de segurança, controlo de fronteiras, desenvolvimento económico e contratação de mão-de-obra", explicou Miguel Angel Moratinos. Segundo o chefe da diplomacia espanhola, as áreas prioritárias do acordo são a segurança "onde logicamente a Guiné-Bissau vive momentos difíceis e precisa do apoio da comunidade internacional". "Espanha vai tentar aumentar a cooperação na área da segurança, estando previsto para breve a deslocação à Guiné-Bissau da secretária de Estado da Defesa", Soledad Lopez Fernandez, acrescentou o ministro. A criação de infraestruturas, nomeadamente a construção de estradas, e a luta contra a pobreza são outros dos objectivos prioritários do acordo assinado hoje entre os dois países. O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros guineense sublinhou, por seu lado, que a assinatura do acordo "acontece num momento em que a Guiné-Bissau está empenhada em criar as premissas necessárias para a normalidade da vida pública e crescimento económico". Esse empenho, segundo Roberto Cacheu, passa igualmente pelo combate à imigração ilegal e ao narcotráfico. "O governo acredita que em 2008 a Guiné-Bissau vai apresentar melhorias efectivas na economia do país", afirmou o secretário de Estado, referindo-se à reestruturação das relações de diálogo com as instituições financeiras internacionais. Salientou ainda que a assinatura do acordo de cooperação migratória é um "marco importante no desenvolvimento das relações" entre os dois países.

Publicado: Segunda, 28 Janeiro, 2008

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter