AIPA

Romena torna-se empresária e imigrante de sucesso

Manuela Stefan defende que " quem não arrisca, não petisca". É com um grande sorriso de satisfação que disse ao jornal Atlântico Expresso que é já luso-romena, graças ao seu casamento com um açoriano. Em 2004, Manuela Stefan esteve em são Miguel durante duas semanas e regressou à Roménia passada as férias. Adorou a paisagem e a comida. Quanto às pessoas, diz ter ficado com algumas reticências em relação à opinião que os açorianos têm dos cidadãos do leste da Europa. "Continuo sem peceber o porquê dos entraves de relacionamento que os açorianos estabelecem com os cidadãos ditos "de leste", pois é graças a estes que tem avido um acrescimo de mão-de-obra considerável para pôr de pé obras importantes para a Região, como sendo estradas e hotéis", desabafa. " Se há quem pense que somos um país menos desenvolvido, posso afirmar que, tal como acontece em Portugal, temos áreas em que estamos melhor e outras pior. Mas é assim em todos os países e civilizações". O facto de sair para vir viver para os Açores acabou por não a intimidar. Mas o mar de rosas com que sonhou, acabou por transformar-se num autêntico pesadelo que se prolongou durante vários meses e levou a que o seu casamento tivesse que ser adiado e quase cancelado à última da hora. Com o visto a caducar a 9, Manuela casou no registo civil de Ponta Delgada, a 7 de Dezembro de 2004. "Casei de calças de ganga e t-shirt. Apenas tivemos dinheiro para as alianças e nada mais". Foi a demasiada burocracia e a falta de transparência e coerência por parte dos funcionários do registo Civil, que quase os fez desistir deste que era o primeiro sonho. Manuela ainda conta ao jornal Atlântico Expresso que, "todos os dias ia até àquele serviço e todas as vezes pediam-nos outro documento. Os selos carimbados nos documentos vindos da embaixada em Lisboa nunca estavam conforme, era sempre necessária mais alguma declaração, uma assinatura, mais um documento traduzido..., um impasse constante". Durante quatro meses, Manuela viu a sua vida virada para trás. Foram cerca de mil euros para tratar de toda a papelada. Agradecimentos, guarda-o para o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras que lhe disponibilizou todo o apoio jurídico de que necessitou desde que chegou aos Açores. Com formação superior ao nível da Educação Física - especialidade em Artes Marciais - , Manuela ainda possui um curso reconhecido internacionalmente, de Fitness Aeróbica. Sempre foi apaixonada por esta área e a concretização do seu sonho profissional foi, tal como disse. "Deus que me deu". Em São Miguel, a sua carreira profissional começou pela leccionação, na Escola 2,3 Básica dos Arrifes e Covoada, de Judo aos mais novo. "Foi um ano espectacular". Depois, também no seio da sua área curricular, teve oportunidade de leccionar num ginásio de Ponta Delgada, mas, com a necessidade de aumento dos seus rendimentos, tentou desenvolver uma actividade por si própria. Actualmente, e enquanto gerente do ginásio Antillia, continua a dizer que, também nesta área, a sua máxima de vida se mantém. Muito embora tenha pensado muito mais que duas vezes, antes de se lançar por sua conta à frente daquele que era um dos seus maiores sonhos - ser proprietária de um ginásio - o convite feito para explorar este novo espaço foi aceite. "reconheci, logo à partida, que a concorrência é grande nesta área, em Ponta Delgada, mas achei que "quem não arrisca, não petisca" e como tal avancei". Os emprestimos bancários que teve a partir do seu marido, quer para a casa quer para as obras e investimento no ginásio, não a assustam, mesmo porque, ao nível das instituições bancárias locais, nunca encontrou as portas encerradas, apesar de ser luso-romena. Falando fluente e correctamente o inglês e o francês, fez a aprendizagem do português com muita facilidade, apesar de serem os artigos, no masculino a sua maior contrariedade. "aprendi sozinha, no contacto diário com o meu marido, amigos e também... através das novelas". Diz que, desde o dia 2 de Janeiro - quando o ginásio abriu ao público - que o relacionamento com os seus clientes e alunos de Cardio-Musculação, tem sido muito bom. Quanto ao contacto com a família, na roménia, tudo acaba por ficar mais facilitado com novas tecnologias. Telemóvel e "Messenger" acabam por suprir as saudades diárias de quem está mais longe de Manuela. Os projectos, para o futuro, poderão passar por ser mãe. Quanto a iniciativas mais de âmbito profissional, diz que, por enquanto, não tem ambições, mesmo porque quer, agora, ver o seu sonho tornar-se realidade.

Publicado: Tera, 15 Janeiro, 2008

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter