AIPA

Boatos contra comerciantes chineses nos Açores não têm fundamento

Rapto de crianças e tráfico de órgãos são duas das insinuações feitas. "Sem fundamento", esclarece Alberto Peixoto, sociólogo associado à PSP de Ponta Delgada. “Denegrir a imagem da comunidade chinesa é o principal objectivo destes boatos”, afirma o sociólogo Alberto Peixoto, em declarações exclusivas ao jornal diário( versão on line). Segundo refere, trata-se de uma tentativa de estigmatizar os imigrantes por forma a que estes deixem de desfrutar do sucesso profissional e comercial que alcançaram no Arquipélago. “Não existem dados que comprovem que as comunidades imigrantes são mais propensas à prática do crime. Muito pelo contrário cumprem mais as normas do que os nacionais”, salienta. Os boatos, refere o sociólogo, “têm a particularidade de conter informação de cariz policial, numa tentativa de dar crédito à história”. Alberto Peixote diz, ainda, que estas histórias, que associam a comunidade chinesa à prática do crime organizado, “são racistas e estigmatizantes e visam contrariar e prejudicar o sucesso alcançado por estes imigrantes”. “Os chineses afirmam-se pelo comércio. São mais organizados e apoiam-se reciprocamente. É natural que isso provoque alguma tensão, principalmente no comércio tradicional”, conclui. A AIPA manifesta-se o seu repúdio por tais informações, completamente infundadas, sobre a comunidade chinesa radicada na região JornalDiario

Publicado: Quarta, 29 Agosto, 2007

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter