AIPA

Açores e Cabo Verde com preocupações comuns no apoio aos repatriados

Açores e Cabo Verde com preocupações comuns no apoio aos repatriados Carlos César, considerou que a questão dos repatriados “é um problema com uma intensidade muito especial, não só geradora de exclusão social, mas também de uma perturbação ao nível criminal, em alguns casos”. A Região Autónoma dos Açores e a República de Cabo Verde têm preocupações comuns com as políticas de apoio a cidadãos repatriados e foi nesse contexto que o primeiro-ministro de Cabo Verde e a sua comitiva assistiram ontem, em Angra do Heroísmo, a um briefing sobre a forma como os Açores estão a enfrentar o problema. A directora regional da Solidariedade e Segurança Social, Andreia Cardoso, explicou o complexo processo de exclusão a nível social, económico e cultural que afecta a esmagadora maioria dos repatriados, bem como as respostas que vão sendo paulatinamente colocadas ao serviço da sua integração na comunidade açoriana. No final do encontro, o Presidente do Governo Regional, Carlos César, considerou que a questão dos repatriados “é um problema com uma intensidade muito especial, não só geradora de exclusão social, mas também de uma perturbação ao nível criminal, em alguns casos”. E é por sentir a profundidade do problema que, disse, “desenvolvemos, aqui nos Açores, um trabalho que inclui dezenas de instituições de solidariedade social, que são financiadas pelo Governo para prestar vários tipos de apoio social”, também nestes casos, acrescentou, referindo, ainda, que é em S. Miguel, na Terceira e, de algum modo, em S. Jorge, que a maior quantidade de problemas existe. O Presidente do Governo dos Açores vaticinou, no entanto, uma redução drástica de casos de repatriamento nos próximos anos, uma vez que a emigração açoriana praticamente estagnou na última década. O primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria das Neves, reconheceu iguais dificuldades e disse ter encontrado no briefing pistas para mais e melhores soluções no combate a este problema no seu País, manifestando interesse pelo modelo açoriano de acolhimento de imigrantes, baseado na integração e na interculturalidade, conforme explicara antes, no mesmo encontro, a directora regional das Comunidades, Alzira Silva. No cumprimento da visita à Terceira, ao longo do dia de ontem, as comitivas governamentais açoriana e de Cabo Verde estiveram na Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, onde José Maria das Neves foi honrado com a entrega das chaves da cidade e com o título de Cidadão Honorário da cidade Património Mundial.

Publicado: Quarta, 16 Maio, 2007

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter