AIPA

Angola:Imigração ilegal de estrangeiros aumenta 30 por cento

Soyo, 16/09 - O fenómeno de imigração ilegal de cidadãos estrangeiros na província do Zaire aumentou em trinta por cento, de Janeiro a Agosto do ano corrente, comparado em igual período no ano transacto, revelou hoje, no Soyo, o director provincial dos Serviços de Migração e Estrangeiros (SME), João António da Costa. Em declarações à imprensa, por ocasião da reinauguração da sede dos Serviços Provinciais, após obras de ampliação e restauração, João da Costa disse que a sua instituição repatriou, para a República Democrática do Congo (RDC), mil e 556 estrangeiros de diversas nacionalidades em situação ilegal, enquanto que em 2005 foram repatriados mil e 185. A fronteira comum com a vizinha RDC é o ponto de maior fluxo de entrada ilegal de estrangeiros ao território angolano, sobretudo cidadãos oeste africanos, mas o maior número é de cidadãos congoleses, com mil e 358 registados. O responsável indicou a faixa fluvial do rio Zaire como a que mais dificuldades apresenta para o controlo fronteiriço e migratório, pela sua extensão, dos quatro tipos de fronteiras assegurados pela SME no território da província, nomeadamente aérea, marítima e terrestre. A reinauguração da sede faz parte do esforço que o Governo angolano empreende para a modernização e desenvolvimento do sector, onde os recursos humanos devem destacar-se para que tenha melhores condições de trabalho e aumento das capacidades internas, acrescentou João da Costa. Assim, apelou a toda a sociedade para que o fenómeno de imigração ilegal tenha fim em Angola, observando que comunas, povoações e bairros organizam-se cidadãos nacionais que denunciem às autoridades os prevaricadores, em complemento da acção das estruturas vocacionadas. Os SME controlam a actividade migratória no Zaire em oito postos, nomeadamente em Mbanza Congo, Soyo, Pedra do Feitiço, Nóqui e Cuimba.

Publicado: Quarta, 20 Setembro, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter