AIPA

Organização Internacional da Francofonia (OIF) e a União assinam protocolo

Um protocolo de acordo visando aprofundar o diálogo político entre a Organização Internacional da Francofonia (OIF) e a União Europeia (UE) no quadro duma parceria privilegiada foi assinado segunda-feira em Bruxelas, soube-se de fonte oficial na capital belga. O acordo foi rubricado pelo secretário-geral da OIF, o senegalês Abdou Diouf, e pelo comissário europeu para o Desenvolvimento e Ajuda Humanitária, Louis Michel. Falando durante uma conferência de imprensa que sancionou a cerimónia de assinatura deste documento, Michel declarou que a OIF é, mais do que uma realidade cultural baseada na língua, "uma organização política cujas influência e eficácia são notórias, nomeadamente no domínio da prevenção dos conflitos e da democratização". Por seu turno, Diouf (ex-chefe do Estado senegalês) sublinhou a sua vontade de reforçar a concertação, redobrar de esforços e mobilizar recursos para uma melhor eficácia da cooperação e da ajuda às populações. "É nosso dever de solidariedade é buscar os meios de dinamizar e reforçar as relações entre a OIF e o actor maior na arena internacional que é a União Europeia", insistiu. Através deste acordo, as duas entidades pretendem estabelecer um diálogo estruturado que deve permitir o desenvolvimento de operações comuns num espírito de complementaridade e de eficácia sempre que o valor acrescentado de uma colaboração entre os dois parceiros for demonstrado, sublinha um documento entregue à imprensa. Para o desenvolvimento "das sinergias construtivas", os dois parceiros apostaram na promoção da democracia e dos direitos humanos e na diversidade cultural e linguística, lê-se na nota. As acções comuns serão igualmente centradas na prevenção dos conflitos, no desenvolvimento económico e social, na sociedade da informação bem como na educação, na formação e na juventude, segundo o documento. Durante o encontro, os dois interlocutores evocaram o cinema, sector no qual a União Europeia investiu recentemente seis milhões e 500 mil euros a favor dos países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP), países ligados aos 25 (países membros da UE) no quadro do Acordo de Cotonou. Para um período de cinco anos, estes créditos devem servir para executar programas de desenvolvimento e de estruturação das indústrias cinematográficas e audiovisuais e permitir aos cineastas e a outros profissionais do sector criar e divulgar as suas produções. O secretário-geral da OIF e o comissário europeu decidiram reunir-se pelo menos uma vez por semestre para balancear o progresso da cooperação entre as duas partes. Abdou Diouf convidou finalmente o comissário Louis Michel a participar na cimeira da Francofonia que vai decorrer de 28 a 29 de Setembro próximo em Bucareste, na Roménia. Respondendo a uma pergunta de um jornalista sobre a imigração, Diouf afirmou que o aumento dos fluxos migratórios sul-norte e sul-sul é um fenómeno ligado à mundialização. "É necessário", indicou o SG da Franconfonia, "tudo fazer para desencorajar a imigração clandestina e regular a imigração legal". Quanto ao Líbano, país membro da OIF, Diouf disse que a sua organização permanece a favor do envio de uma força de interposição de 15 mil homens, força na qual a União Europeia decidiu participar com sete mil soldados. Actualmente, prosseguiu Diouf, o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, está a envidar os esforços necessários para encontrar outros países para contribuir para a FINUL (Força Internacional des Nações Unidas no Líbano) reforçada com vista a perfazer os 15 mil soldados necessários. A OIF está disposta, se isto lhe for pedido, a consultar os Estados membros para os exortar a participar na FINUL reforçada, revelou. A OIF é constituída por 53 países, dos quais 11 europeus membros efectivos ou membros observadores.

Publicado: Quarta, 30 Agosto, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter