AIPA

De Bissau a Lisboa, este é mais um relato na rota dos "sem papéis".

Nas praias do Senegal, ninguém acredita que seja possivel travar o tráfego de barcos ilegais rumo à Europa. De Bissau a Lisboa, este é mais um relato na rota dos "sem papéis". Ao que Jorge Neto, repórter da Renascença, apurou no Senegal, não há quem acredite que, mesmo uma fiscalização mais apertada em África - como defendem os países europeus - venha a travar a "sangria" de jovens dispostos a morrer por uma vida melhor. Mustafá Dioup, antigo pescador senegalês, é liminar: "A Polícia pode controlar o que quiser. Mas a Polícia e a Marinha não conhecem o mar. Não conhecem os locais de saída e a que horas vão sair as embarcações. Mas pensa que, mesmo que haja muita Polícia, as pessoas vão deixar de sair de África para a Europa? As pessoas não têm medo, nem que sejam milhões os polícias. Elas cansaram-se de viver no Senegal". Aliás, este pescador considera que imigrar se tornou um desafio para os africanos, face às autoridades e à própria resistência das embarcações. Há até quem já sonhe em chegar ao continente americano. Se o controlo policial impedir as pirogas de chegar às Canárias, a Madeira também pode vir a ser uma opção. Fonte: RR

Publicado: Quinta, 27 Julho, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter