AIPA

Portugal alarga ações de formação em português para migrantes e refugiados

Texto: Governo de Portugal | Foto: Direitos Reservados  

O Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, afirmou que o alargamento das ações de formação em português para migrantes e refugiados e o lançamento de novos materiais de aprendizagem vem «reorganizar e lançar novas ferramentas de aprendizagem da Língua Portuguesa com uma base descentralizada».

Na sessão pública «A Língua Portuguesa na integração de pessoas migrantes e refugiadas: recursos e boas práticas», em Lisboa, foi anunciado que 19 entidades farão um total de 420 ações de formação em 2017, num investimento de 234 mil euros.

Eduardo Cabrita referiu que as instituições, em articulação com o Alto Comissariado para as Migrações, «vão fazer chegar o Português mais longe com metodologias adequadas a destinatários que são diferentes dos tradicionais destinatários de cursos de Língua Portuguesa».

«Estamos a falar fundamentalmente de cidadãos sírios, eritreus e iraquianos», acrescentou o Ministro, para o que serão também disponibilizadas informações e materiais em árabe na Plataforma de Português Online.

Ferramentas para todos

O Ministro Adjunto afirmou que as ferramentas se destinam a todos os que são abrangidos por mecanismos de acolhimento que requerem proteção internacional, realçando também que Portugal alcançou a barreira dos 1000 recolocados.

Eduardo Cabrita disse que Portugal se tem destacado «pela forma como integra imigrantes e como tem participado no esforço de acolhimento de refugiados», referindo que este «é um caminho para que Portugal não seja só local de destino no acolhimento» mas também «local de integração em terra de nova esperança para quem foge da guerra e da perseguição».

 

A integração da primeira fase de acolhimento tem dois desafios fundamentais, considerou o Ministro: a aprendizagem da Língua Portuguesa e integração gradual no mercado de trabalho.
Portugal já recebeu 1001 refugiados, dos quais 673 adultos e 328 crianças, havendo 322 pessoas que chegaram sozinhas e 166 agregados familiares.

Publicado: Quinta, 02 Maro, 2017

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter