AIPA

Hoje é o Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina

Texto: AIPA com Calendarr | Foto: Direitos Reservados 

O Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina celebra-se, anualmente, a 6 de fevereiro. Este é um ritual, ainda praticado, sobretudo, em países africanos e do Médio Oriente. Em Portugal, existe um programa de prevenção e combate a esta prática.  

O objetivo da data é combater a mutilação genital feminina, uma prática que afeta cerca de 8 mil mulheres por dia e que é uma clara violação dos direitos humanos.

A mutilação genital feminina ocorre em observação de rituais regionais e resulta em sérias hemorragias, quistos, infeções, problemas urinários, infertilidade, problemas no parto e risco de morte natal.

Ela é mais frequente em jovens até aos 15 anos, na África e no Médio Oriente. Estima-se que existem cerca de 140 milhões de mulheres e meninas, espalhadas por 29 países do mundo, a viver com alguma forma de mutilação genital feminina.

Em Portugal realizam-se neste dia sessões evocativas, com divulgação de dados e análise do plano para prevenir e combater a mutilação genital feminina, nomeadamente o III Programa de Ação para a Prevenção e Eliminação da Mutilação Genital Feminina 2014 - 2017. Na plataforma da saúde identificaram-se 43 casos de mutilação genital feminina, realizadas fora de Portugal, a meninas com uma média de 6 anos de idade.

O primeiro estudo no país sobre a prevalência da mutilação em Portugal indica que 6.576 mulheres foram submetidas a mutilação, das quais 5.974 pertencem à comunidade imigrante da Guiné-Bissau, 163 da Guiné - Conacri, 111 do Senegal e 55 do Egito.

Publicado: Segunda, 06 Fevereiro, 2017

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter