AIPA

Migrações: Organização Internacional apela à mudança de políticas de integração

De acordo com uma notícia da Agência, de 13 de Julho, "a Organização Internacional das Migrações (OIM) apelou hoje às sociedades de acolhimento para que repensem as políticas de integração dos imigrantes, uma vez que o mundo actual é cada vez mais transnacional. O apelo da OIM surge durante a reunião que termina hoje em Genebra, e na qual estão a ser discutidas questões relacionadas com a integração dos imigrantes. "As actuais políticas de integração baseiam-se principalmente na deslocação das pessoas para um único país", mas nos dias de hoje a maioria dos imigrantes passa por diferentes países, explica aquela organização das Nações Unidas. De acordo com a OIM, as migrações actuais assumem "cada vez mais um carácter temporário" e as pessoas têm a possibilidade de ir à escola, trabalhar, educar os seus filhos e adquirir reformas de diferentes países. Neste sentido, a OIM propõe que as políticas de integração tenham um carácter inclusivo e que envolvam toda a sociedade e os governos a nível nacional e local. "A integração exige uma adaptação recíproca dos imigrantes e da sociedade de acolhimento", salienta, acrescentando ser "necessário assimilar o papel que os imigrantes temporários desempenham na sociedade moderna". A OIM considerou também que os governos devem regularizar a situação dos imigrantes ilegais que estão "de facto integrados", que falam a língua e têm trabalho no país de acolhimento. Para esta organização, a legalização seria uma forma de reconhecer o contributo dos imigrantes para a economia dos diferentes países e evitar que sejam explorados e marginalizados. A saúde e a educação são outras formas que permitem a integração dos imigrantes. A OMI destacou ainda que a tolerância cultural e religiosa é igualmente importante para evitar a discriminação e a xenofobia. Do ponto de vista político é necessário compreender a luta contra a xenofobia e a discriminação e velar para que os patrões apliquem normas laborais a todos os imigrantes. Na reunião estão presentes 118 estados-membros da OIM, organizações internacionais, ONG e investigadores. Portugal está representado neste encontro pelo Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas (ACIME)." CMP. Lusa

Publicado: Sexta, 14 Julho, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter