AIPA

Portugal é um bom exemplo na integração dos refugiados "mas há quem não esteja a fazer o seu melhor"

Texto: RTP | Foto: Direitos Reservados 

O nosso país já recebeu mais de 600 dos cerca de 4500 refugiados que se comprometeu a integrar.
"Portugal é apontado como um bom exemplo a par com a França, mas há países que não tem feito o seu melhor", afirmou no Jornal 2, a partir de um campo de refugiados em Atenas, o responsável pela Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), Rui Marques. "Há ainda muitos problemas burocráticos que têm que ser melhorados".

 

Esta terça feira mais de três mil pessoas foram salvas no mediterrâneo. Cerca de 6500 tinham já sido resgatadas no Mediterrâneo esta segunda feira. Foi um dos dias com maior número de salvamentos. A maioria dos migrantes é proveniente da Eritreia e da Somália.

Nas operações estiveram envolvidas as autoridades italianas, a agência europeia de controlo de fronteiras.

Desde o início do ano chegaram a Itália mais de 100 mil pessoas. De acordo com os dados da Organização Internacional das Migrações perderam a vida a tentar pelo menos 2700 migrantes.

"A Grécia tem mais de 58 mil refugiados à espera de uma decisão quanto à sua relocalização num país europeu, 80% deles estão sinalizados como candidatos à recolocação", diz Rui Marques, da Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR) que está na Grécia a acompanhar o processo de recolocação dos migrantes.

Em Atenas trabalham diversos voluntários portugueses. Inês Viterbo é uma delas, "tem sido uma experiência de encher o coração". A voluntária da PAR está a trabalhar em colaboração com uma organização grega que pretende apoiar o ensino das muitas crianças que se encontram entre os refugiados. De lembrar que cerca de 40% dos migrantes que chegaram até à Grécia fugidos sobretudo do conflito na Síria são crianças. A UNICEF contabilizou mais de 2500 sozinhos.

Publicado: Quarta, 31 Agosto, 2016

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter