AIPA

França adota definitivamente nova legislação sobre imigração

O Parlamento francês aprovou definitivamente nesta sexta-feira a nova lei sobre "imigração seletiva" impulsionada pelo ministro do interior, Nicolas Sarkozy, para endurecer as condições de entrada e de permanência dos estrangeiros na França. A votação foi realizada em plena polêmica pela iniciativa de expulsar os filhos de famílias de imigrantes ilegais na França aos quais, no entanto, foi concedida uma prorrogação da permanência nesta sexta-feira, data do final do ciclo escolar no país. Em nome do governo, o ministro das Coletividades Locais, Christian Estrosi, assegurou que "não haverá uma caça às crianças". A nova lei sobre a imigração, votada pelo partido governista UMP, União por um Movimento Popular (direita), e uma parte dos grupos de centro, busca fomentar a entrada de imigrantes altamente qualificados criando um visto de residência de "capacidades e talento" para aqueles com melhores títulos universitários. Para os demais, as condições de obtenção de vistos de residência foram endurecidas. A lei dificulta também os casamentos mistos --isto é, entre um cidadão francês e um imigrante-- e o reagrupamento familiar que, a partir de agora, depende das condições de ingresso, trabalho e alojamento. O texto revoga a regularização com pleno direito dos clandestinos com mais de dez anos no país e a substitui por uma regularização caso por caso por parte das autoridades policiais responsáveis, que pedirão também a opinião dos prefeitos.

Publicado: Segunda, 03 Julho, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter