AIPA

Manifestaçaõ em França por causa da nova lei

manifestação - que, segundo a organização, reuniu 50 mil pessoas e, segundo a polícia, pouco mais de sete mil - contou com a presença de destacados dirigentes socialistas, como o antigo Primeiro-ministro Laurent Fabius, o antigo ministro das Finanças Dominique Strauss-Kahn e a antiga ministra do Trabalho Martine Aubry. A nova lei de imigração dificulta a obtenção de autorizações de residência e acaba com a prática anterior de legalização automática dos imigrantes que provassem residir em França há pelo menos 10 anos. Ao promover esta lei, o ministro do Interior, Nicholas Sarkozy, prometeu repatriar pelo menos 25 mil imigrantes ilegais em 2006, mais cinco mil que em 2005. Por outro lado, aproxima-se o final do ano escolar - 4 de Julho - e, com ele, milhares de famílias deverão ser expulsas dado que, em Outubro passado, o ministro Sarkozy aceitou esperar pelo final do ano escolar para expulsar as famílias de imigrantes cujos filhos estivessem a estudar. Alguns dos manifestantes ostentavam cartazes onde se lia "Não à perseguição às crianças". Uma manifestação semelhante reuniu em Marselha (sul) entre 500 a mil pessoas, segundo a polícia e a organização. A par dos protestos, as organizações de defesa dos direitos dos imigrantes estão hoje a promover em Paris cerimónias simbólicas de "apadrinhamento" para "proteger" ou "esconder" as famílias que permanecem em França graças ao adiamento da expulsão até ao fim do ano lectivo.

Publicado: Segunda, 03 Julho, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter