AIPA

Integração e interculturalidade são fator de coesão na Região

Texto: GaCS | Foto: Direitos Reservados 

O Diretor Regional das Comunidades destacou, na Horta, o trabalho desenvolvido por diversas instituições açorianas na “constante promoção da integração dos migrantes e da interculturalidade, que constituem um fator de coesão na Região”.

Falando na sexta-feira à noite nas comemorações do Dia Internacional dos Migrantes, Paulo Teves salientou o fenómeno migratório, na dupla vertente da emigração e imigração, como parte da história do povo açoriano, referindo que “a integração daqueles que escolhem os Açores para viver e trabalhar e dos que regressam por vontade própria ou por imposição, ou mesmo a afetividade da imensa diáspora espalhada pelo mundo com as ilhas de origem, faz parte da missão e ação de diversas entidades, desde o Governo Regional ao poder local, passando pelas organizações sociais, culturais, entre muitas outras”.

 “As instituições hoje distinguidas com o Prémio de Boas Práticas Inclusivas são a prova viva do dinamismo comunitário que existe na área das migrações, mesmo aquelas cuja função primeira não se enquadre no âmbito desta temática”, afirmou.

Para o Diretor Regional das Comunidades “mais do que distinguir as organizações, é o alcance dos projetos e os seus intervenientes - quem executa e quem é alvo - que queremos relevar e divulgar junto da sociedade açoriana”.

Na sessão comemorativa deste dia, em que participaram mais de 200 pessoas, a Direção Regional das Comunidades distinguiu com o Prémio Boas Práticas Inclusivas a Cáritas da Ilha Terceira, com o projeto “Enformar, Aprender”, a ARRISCA - Associação Regional de Reabilitação e Integração Sociocultural dos Açores, com o projeto “PertenSer”, a Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial, com o projeto “Ritmos Sentidos “, e o Colégio do Castanheiro, com o projeto “O Património Religioso dos Açores e de Santa Catarina”. Estas iniciativas premiadas contribuíram para a promoção da interculturalidade, para o reforço do relacionamento dos Açores com as comunidades imigradas e emigradas, bem como para a integração de migrantes.

O Diretor Regional considerou ainda ser essencial a concretização de ações que “valorizam a diversidade cultural nos Açores”, destacando o apoio do Executivo a diversas organizações, projetos e a realização de iniciativas que contribuem para uma plena integração, como é o caso dos Cursos de Língua Portuguesa para Imigrantes, que contam já com 3 edições desde 2013, nas quais participaram mais de 150 formandos, e que contarão com mais repetições em 2016.

“Na Região Autónoma dos Açores, indiscutivelmente multicultural, apraz-nos registar que os imigrantes oriundos de mais de 75 nacionalidades diferentes se sentem em casa, bem acolhidos e integrados. E esta realidade deve-se a todos nós que, no pleno exercício de cidadania, assumimos esta missão e por aí contribuímos para a defesa dos direitos humanos”, salientou Paulo Teves.

“Neste dia, queremos prestar a nossa sentida e sincera homenagem à diáspora açoriana, que tanto nos orgulha e fortalece a nossa presença no mundo, lembrando também todos aqueles que escolheram as nossas ilhas para viver e contribuir para o desenvolvimento e progresso do arquipélago”, concluiu.

 

Nas comemorações do Dia Internacional dos Migrantes, proclamado em 2000 pelas Nações Unidas, que se realizaram este ano na ilha do Faial, participaram cerca de 100 emigrantes regressados e imigrantes, que assistiram a diversas manifestações culturais em representação do Brasil, de Cabo Verde e dos Açores.

Publicado: Segunda, 21 Dezembro, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter