AIPA

FMI diz que refugiados pesam no orçamento europeu mas irão impulsionar crescimento

Texto: SWI | Foto: Direitos Reservados 

A chegada em massa de imigrantes buscando refúgio na Europa pode pesar no orçamento da zona do euro, sobretudo da Alemanha. A longo prazo, contudo, essa imigração pode se tornar um ativo para o crescimento, estimou nesta terça-feira o FMI.

"Receber fluxos de refugiados obviamente exerce uma pressão sobre os orçamentos de alguns países, como a Alemanha, por exemplo (...), que tem um bom histórico de aceitar imigrantes", disse Maurice Obstfeld, economista-chefe do FMI em uma coletiva de imprensa em Lima (Peru), onde a instituição realiza sua reunião anual nesta semana.

"Não será fácil integrar os recém-chegados à força de trabalho, isto levará tempo, mas no longo prazo terá um efeito positivo para o crescimento da Europa. Embora seja trágico para a Síria, que perde grande parte de sua população", acrescentou.

Para Obstfeld, trata-se de uma enorme tragédia humanitária, na qual todos os países devem cooperar. "Há muito enfoque no aspecto europeu do problema, mas há países, como a Jordânia, que estão sendo muito pressionados e o FMI está tentando ajudar, reduzindo as metas fiscais", completou.

Segundo a ONU, aproximadamente 700.000 emigrantes que fogem do conflito sírio, em particular, chegaram este ano à Europa pelo Mediterrâneo. Os países europeus apenas deram abrigo a alguns destes refugiados.

Publicado: Quarta, 07 Outubro, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter