AIPA

Igreja Ortodoxa búlgara contra migrantes muçulmanos

Texto: Correio da Manhã | Foto: Direitos Reservados 

A Igreja Ortodoxa búlgara, a que pertence 80% da população do país, apelou este sábado ao Governo que não deixe entrar migrantes e refugiados muçulmanos no país.

"Nós ajudamos os refugiados que já chegaram ao nosso país, mas o Governo não deve, em nenhum caso, deixar entrar mais refugiados", sublinhou o santo sínodo, corpo dirigente da Igreja, numa declaração no seu site na Internet. "Trata-se de uma vaga que tem todas as características de uma invasão", referiu o texto.

Situada nos Balcãs, a Bulgária é contornada pelo principal fluxo de migrantes que chegam da Grécia e que se dirigem para a Europa Ocidental através da Macedónia, Sérvia, Croácia e Hungria.

No entanto, é um país de trânsito para os sírios, iraquianos e afegãos que estão na Turquia e que querem chegar à Europa Ocidental.

Os problemas do país de origem dos refugiados "deve ser resolvido por aqueles que os criaram e o povo búlgaro não deve pagar o preço (...)", acrescentou a declaração.

A Bulgária é o país da União da Europeia com a taxa mais elevada de muçulmanos -- cerca de 13% - entre os quais turcos, búlgaros islâmicos e outros.

Publicado: Segunda, 28 Setembro, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter