AIPA

Portugal vai receber 1500 refugiados nos próximos dois anos

Texto: TSF | Foto: Direitos Reservados 

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, já comunicou a disponibilidade à Comissão Europeia. Uma notícia revelada pelo Diário de Notícias, que conta que a maioria dos refugiados serão migrantes sírios, muitos com formação superior e capacidade financeira.

A avaliação de risco de segurança será feita pela secretas, mas uma fonte policial próxima do processo, citada pelo Diário de Notícias, afirma que tendo como exemplo os 70 sírios que em 2013 chegaram ilegalmente a Portugal vindos de Bissau, "a nacionalidade dos refugiados até dá alguma tranquilidade. Dos 1500 migrantes que Portugal irá receber são quase todos da classe média, estavam integrados na sociedade e têm recursos financeiros".

Citada pelo DN, uma fonte que está a acompanhar este processo, sublinha que "independentemente de quererem ficar em Portugal, o mais provável é que, tal como a Itália e a Grécia, este seja apenas um ponto de passagem para países do Norte da Europa e para os Estados Unidos onde estes refugiados têm familiares e comunidades enraizadas".

A Comissão Europeia tinha sugerido a Portugal acolher 2 mil e 400 pessoas, Portugal defendeu um ajustamento de critérios e nos últimos dias o Ministro dos Negócios Estrangeiros, com o acordo do primeiro ministro, comunicou a Bruxelas disponibilidade para receber 1500 refugiados do mar Mediterrâneo, durante os próximos dois anos.

De acordo com o Diário de Notícias, o Ministério da Solidariedade e da Segurança Social, o Ministério da Administração Interna e os serviços de Informações já estão a preparar esta operação.

No primeiro semestre do ano mais de 137 mil pessoas atravessaram o Mediterrâneo, atingindo um número recorde de migrantes, com um aumento de 83% face ao mesmo período de 2014.

Publicado: Tera, 07 Julho, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter