AIPA

Número de migrantes resgatados no Mediterrâneo bate recorde este fim de semana

Texto: Renascença | Foto: Direitos Reservados 

Mais de cinco mil pessoas foram resgatadas no mar Mediterrâneo desde sexta-feira, um número sem precedentes este ano, segundo informou a Agência de Controlo de Fronteiras Exteriores (Frontex) da União Europeia.

As operações de resgate foram levadas a cabo por navios britânicos, malteses, belgas e italianos apoiados por aviões da Islândia e da Finlândia, enquadrados na operação Triton e coordenados pela agência.

"Foi a 'maior onda' de imigrantes de 2015", sublinhou o diretor executivo do organismo, Fabrice Leggeri.

O mesmo responsável afirmou que foram salvas "centenas de vidas" e que a operação teve como objetivo prestar assistência às pessoas que se encontravam em embarcações em muito mau estado e que tinham zarpado da costa da Líbia.

O Frontex regista que foram encontrados 17 mortos entre os grupos de imigrantes desde sexta-feira e que, neste momento, decorrem ainda cinco operações para o resgate de cerca de 500 pessoas.

O destino dos resgatados são os portos do sul de Itália, onde chegaram desde o princípio do ano mais de 36 mil pessoas que cruzaram o Mediterrâneo em busca de uma nova vida no continente europeu.

Bruxelas propõe que a União Europeia receba 40 mil migrantes que tenham chegado à costa italiana e grega partir de 15 de Abril e futuras chegadas nos próximos dois anos. Os Estados-membros que participarem recebem 6.000 euros por cada pessoa. Portugal pode ser chamado a receber 2.400 refugiados.

 

Segundo a Organização Internacional para as Migrações, este ano até meados de Abril morreram em naufrágios no Mediterrâneo mais de 1.750 migrantes, 30 vezes mais que no mesmo período de 2014.

Publicado: Segunda, 01 Junho, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter