AIPA

Canadá: associações pedem solução para imigrantes

O Consulado-Geral de Portugal em Toronto está a recolher dados identificativos dos imigrantes portugueses no Canadá em fase de deportação para eles poderem ser acompanhados no regresso ao país. «Já pedimos aos serviços de Imigração canadianos a lista das pessoas que estão a ser deportadas, mas ainda não a recebemos», disse à Agencia Lusa o embaixador português no Canada, João Silveira de Carvalho. Além daquela iniciativa, o diplomata referiu que o Consulado-Geral de Portugal em Toronto está aberto às famílias portuguesas convocadas pelos serviços de Imigração com vista ao repatriamento, para obter os seus dados identificativos. A recolha destes dados será enviada para os governos das regiões de destino dos portugueses, seja o continente, Açores ou Madeira, com «o objectivo de que à sua chegada recebam acompanhamento e apoio». Em Portugal continental, o acompanhamento de cidadãos portugueses repatriados é feito pelos serviços do Ministério da Segurança Social e nos Açores o Governo Regional tem a Rede de Apoio Socio-Cultural à Mobilidade Humana, accionado nestes casos para prestar ajuda à integração social, serviços de saúde e apoio à habitação, entre outros. Mais de uma dúzia de associações da comunidade portuguesa no Canadá criaram uma coligação para pedir ao Ministro federal da Imigração a regularização de imigrantes indocumentados, dando especial atenção à situação dos portugueses. A frente é liderada pelo Congresso Nacional Luso- Canadiano e pela Federação de Empresários e Profissionais Luso-canadianos, sendo constituída, até ao momento, por mais 11 organizações. Esta aliança de profissionais e organizações comunitárias nasceu nos últimos dias na sequência da divulgação de notícias sobre a deportação de dezenas de trabalhadores indocumentados, entre os quais há várias famílias portuguesas, que já receberam ordens para sair do país. Em declarações à Lusa, o presidente do Congresso Nacional Luso-Canadiano, Peter Ferreira, revelou que esta aliança já contactou diversas entidades, incluindo o ministro federal da Imigração, no sentido de os sensibilizar para o drama que está a ser vivido, em particular, na comunidade portuguesa de Toronto. Além do ministro federal da Cidadania e da Imigração, Monte Solberg, esta recém-criada coligação de organizações lusas fez já diligências, designadamente, junto do ministro da Imigração da província do Ontário e da Diocese de Toronto. O embaixador de Portugal no Canadá fez diligências junto do Governo canadiano, procurando sensibilizar para a situação dos portugueses em fase de deportação, solicitando mais tempo de adaptação e sugerindo a possibilidade de um processo de legalização. Na última semana conheceram-se casos de dezenas de famílias portuguesas notificadas para saírem do país dentro de uma a duas semanas. Fonte: Portugal diário

Publicado: Segunda, 27 Maro, 2006

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter