AIPA

Partido do Quebeque diz que imigrantes devem passar teste cultural

Texto: Notícias ao Minuto | Foto: Direitos Reservados 

O líder da Coligação para o Futuro do Quebeque, Francois Legault, quer introduzir novas regras na imigração da província canadiana que exigirão aos candidatos que passem um teste linguístico e cultural após um período probatório de três anos.

"Chegam anualmente ao Quebeque cerca de 50 mil imigrantes, que não falam francês apropriadamente, e quatro entre cinco não correspondem às exigências da província no mercado de trabalho", afirmou hoje Francois Legault, na Assembleia Nacional (parlamento provincial).

Perante este cenário, o líder do partido de centro-direita pretende que a província aceite mais "profissionais com formação", reconhecendo que a língua e a cultura "são exigências que vão ajudar".

"Gostaríamos de colocar mais ênfase em primeiro lugar nas respostas às necessidades do mercado de trabalho", acrescentou o responsável da Coligação para o Futuro do Quebeque.

Segundo o plano apresentado, os imigrantes devem fazer, três anos após a chegada à província, um teste linguístico em francês, às suas competências e sobre os valores do Quebeque.

Se não passarem o teste, após duas tentativas, ser-lhes-á pedido que regressem ao país de origem ou que se desloquem para outra província canadiana.

Francois Legualt prometeu ainda que um governo do seu partido investiria 80 milhões de dólares (59 milhões de euros) por ano para ajudar a integração dos imigrantes.

Entretanto, a deputada do Partido Quebequense Maka Koto classificou o plano de "improvisado".

"Como é que podemos expulsar alguém quando é o Governo federal que tem a responsabilidade dos vistos", questionou a deputada.

 

A ministra da Imigração na província do Quebeque, a liberal Kathleen Weil, também criticou o plano: "Este plano, se aplicado, levava a que potenciais imigrantes evitassem o Quebeque no futuro".

Publicado: Quinta, 19 Maro, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter