AIPA

Português para Todos (PPT) - Nova Plataforma de Recursos Pedagógicos ao dispor dos Professores

Texto/Foto: ACM 

O Alto Comissariado para as Migrações (ACM) lançou, na passada sexta-feira, 6 de março, durante o Seminário de apresentação do Estudo de Avaliação Intercalar do Programa Português Para Todos (PTT), que decorreu, na Escola Secundária Luís de Camões, em Lisboa, uma nova Plataforma de Recursos Pedagógicos.

Trata-se de uma nova ferramenta tecnológica, agora à disposição dos professores e formadores que lecionam as ações de língua portuguesa para imigrantes, inserida no âmbito do Português Para Todos (PPT), um programa criado em 2008, gerido pelo ACM e co financiado pelo Fundo Social Europeu, através do Programa Humano de Potencial Europeu (POPH).

O evento foi marcado pela presença do Alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado, que não escondeu a sua satisfação pela avaliação, “bastante positiva”, do programa “Português para Todos”. O Estudo, realizado pelos coordenadores do DINAMIA’CET – JUL (Centro de Estudos Sobre a Mudança Socioeconómica e o Território), Nuno Dias e Maria Assunção Gato, definiu que a certificação de formandas/os “ultrapassou as metas definidas”e “tem aumentado, consistentemente, em termos absolutos e proporcionais”.

De acordo com o Estudo, a valorização do conhecimento da Língua Portuguesa, por parte dos imigrantes, os incentivos à participação - face à obrigatoriedade de conhecer a língua, no processo de obtenção da autorização de residência permanente ou de naturalização - os subsídios sociais e o horário pós-laboral, são os principais fatores que explicam o sucesso das metas do PPT.

“PEÇA CHAVE PARA A INTEGRAÇÃO”

“O PPT é uma boa prática, uma peça chave para a integração dos imigrantes, da qual nos devemos orgulhar”, realçou o Alto-comissário, que fez também questão de anunciar“o empenho” do ACM, em promover, no seu novo portal, a ser lançado em breve, “um modelo de formação à distância”.

O Alto-Comissário sublinhou ainda a importância dos “resultados positivos” para a continuidade dos projetos, bem como, a necessidade constante de “apresentar melhorias”.

A AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS “É DETERMINANTE PARA O FINANCIAMENTO”

Na mesma linha, continuou o Gestor do POPH, Domingos Lopes, o qual marcou também presença nesta sessão. “É sempre muito enriquecedor saber quais os resultados concretos da implementação dos nossos programas, ainda mais quando são positivos. Num quadro anterior, valorizava-se a avaliação dos resultados, mas agora é determinante para o financiamento”, declarou. “O Alto-comissário destacou a relevância do PPT, o governo acolheu e decidiu pela sua continuidade no programa “Portugal e Inovação Social”, anunciou o responsável.

 

Manual digital interativo

Gabriela Semedo, coordenadora do PPT – ACM, I.P., acompanhada das autoras da Plataforma, as professoras Ana Bayan e Helena Bayan, anunciou também uma nova ferramenta de trabalho para todos os formadores e professores envolvidos: Um Manual Digital Interativo, em formato PDF, com a possibilidade de ser impresso.

Os professores e formadores estiveram em cheio na sessão. Patrícia Simões (formadora IEFP – CEFP Seixal) e Madalena Contente (Professora da Escola Secundária de Camões) manifestaram o seu orgulho em participar neste programa e, acompanhadas, de alguns formandos, realçaram “a mais-valia de poder contatar com várias culturas e a proximidade existente nas aulas”.

IEFP E ESCOLAS EM “TRABALHO DE EQUIPA”

A ocasião contou também com a presença do Vogal do Conselho Diretivo do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e ex-diretor do ACM, Bernardo Sousa , e do Diretor Geral dos Estabelecimentos Escolares, José Alberto Duarte. Os representantes das duas instituições envolvidas neste programa destacaram a importância do “trabalho em equipa”,neste processo.

As Escolas e o IEFP reúnem-se, neste programa, na prossecução do mesmo objetivo: Apostar na integração, pela formação e aprendizagem da Língua Portuguesa.

Apesar dos sucessos, ainda há trabalho a fazer. Professores, formadores e responsáveis políticos estão sensibilizados para o fato do número de alunos de cada turma, no total 26, poder ser uma fragilidade e uma limitação à aprendizagem. 

No entanto, o processo é dinâmico e “há sempre margem para melhorar”, destacou, no final dos trabalhos, o Alto-comissário.

 

OS FORMANDOS

“Muito útil para quem quer viver aqui”

“Muito útil para quem quer viver aqui e começar a trabalhar. É poder comunicar mais facilmente com os outros”, diz Syma Faizal, que veio do Paquistão há 18 meses, e participou, no ano passado, num curso de Língua Portuguesa, numa escola em Odivelas. “Não falo muito bem ainda o português, mas tento”, acrescentou.

Métodos de ensino “mais diversificados”

Yogendra Chhantyal, do Nepal, é jornalista, estudou português numa escola da Pontinha e referiu o valor de “métodos de ensino mais diversificados e orientados para adultos”, como vídeo e áudio, na aprendizagem do português.

 

“Esta Língua é para mim mais importante que outras”

 Tetiana, Ucraniana, já aprendeu muito de português e afirma: “Esta língua agora é mais importante para mim que as outras, como o inglês, por exemplo”-

“Posso falar com o meu marido”

 

Para Ielygoveta, ucraniana, comunicar com nos outros é a mais-valia. “Posso falar com o meu marido”, diz divertida, elogiando também a ação dos formadores: “É um trabalho muito bom, muito importante”.

Publicado: Segunda, 09 Maro, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter