AIPA

Mortos e desaparecidos no Mar Mediterrâneo

Texto: Fátima Missionária | Foto: Direitos Reservados 

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) confirmou esta sexta-feira, 6 de março, a morte de pelo menos dez migrantes no mar Mediterrâneo. Vários outros refugiados estão desaparecidos depois do naufrágio de uma embarcação com 150 pessoas. O afundamento de um barco de madeira, esta semana, fez também feridos, conforme relatos de sobreviventes dados aos funcionários da agência das Nações Unidas no porto de Augusta, na Sicília (Itália).

No total, 941 imigrantes foram salvos na terça-feira, 3, e no dia seguinte no canal da ilha italiana. Os responsáveis pela OIM referem ainda não ter informação pormenorizada sobre as suas nacionalidades, embora a maioria dos sobreviventes tenha aparentemente como origem a África Subsaariana sendo formada por cidadãos eritreus, sírios e palestinianos.

Com o prosseguimento do contrabando humano em março, os responsáveis pela agência informaram, segundo a Rádio ONU, que vários dos seus funcionários são convocados para diferentes pontos de desembarque no Mediterrâneo. Esta semana, mais de mil migrantes foram colocados no mar por quadrilhas líbias de contrabando.

 

Na última quarta-feira, 4, responsáveis pela OIM disseram que responderam também a um pedido de resgate de 86 migrantes africanos retirados do mar na noite anterior de Zarzis, na Tunísia. Dados da OIM indicam que em janeiro e fevereiro de 2014 deram-se cerca de 5,5 mil chegadas pelo mar. Este ano, até quinta-feira foram registados 8,8 mil entradas, num aumento atribuído às graves crises e instabilidade internacional.

Publicado: Segunda, 09 Maro, 2015

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter