AIPA

Portugal aumentou de população à custa de imigrantes

Os censos de 2011 revelam que a população que reside em Portugal cresceu na última década dois por cento mas esse crescimento deveu-se essencialmente aos imigrantes que demandaram o nosso país em busca de melhores condições económicas, situação que se pode inverter na próxima década devido à crise e à emigração.

Em março de 2011, habitavam em Portugal 10.562.178 pessoas o que se traduz num aumento de dois por cento comparado com o ano de 2001. Os dados foram conhecidos em conferência de imprensa que tornou públicos os resultados dos censos de 2011. De acordo com esses censos na última década o número de residentes em território nacional subiu 206.061 pessoas mas o certo é que 188.652 eram imigrantes. as restantes 17.409 pessoas são o que traduz o saldo natural entre mortes e nascimentos e representam apenas 8% do crescimento na última década. As mulheres estão em maioria com um número que atinge os 5.515.578 (52%) contra os 5.046.600 (48%) de homens. As várias regiões de Portugal conheceram aumentos diferenciados, sendo o Algarve a região onde mais se fez sentir esse aumento demográfico com um aumento de 14,1%, seguido da Madeira com 9%, de Lisboa com 6% e dos Açores com 2%. Se o Norte manteve uma certa estabilização da sua população com um ligeiríssimo aumento de 1%, a região centro e o Alentejo registaram uma perda de população registando quebras de 1% e 2,5% respetivamente. Os dados agora conhecidos apontam para o aumento do risco da desertificação do interior com 50% da população concentrada em 33 dos 308 municípios que compõem a organização administrativa do país. A maioria situa-se como seria expetável, na grande Lisboa, no Porto e no Algarve. Lisboa é a grande urbe onde se concentra o maior número de habitantes (550 mil) mas mesmo assim 17 mil abandonaram-na na última década. Seguem-se o concelho de Sintra (377.835) Vila Nova de Gaia (302.295), Porto (237.591) e Cascais (206.479). Contabilizadas as perdas de população revela-se um outro elemento preocupante que é o aumento do número de municípios a perderem população. Em 2011 foram 198 os municípios que perderam habitantes contra os 171 em que o mesmo sucedeu em 2001. Dados preocupantes que poderão ser agravados na presente década conhecidos que são os números crescentes de portugueses que demandam outros países na tentativa de obter o emprego que em Portugal não encontram bem como os do regresso à origem de muitos dos imigrantes que antes nos demandaram e que, atualmente, com a crise que se instalou na Europa e sobretudo em Portugal, tomaram a decisão de, ou regressar aos seus países, ou buscarem novos destinos.

20 de novembro de 2012. 

Publicado: Sexta, 23 Novembro, 2012

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter