AIPA

Homenagem aos 260 anos do povoamento açoriano no Estado do Rio Grande do Sul (rectificação)

A informação que se segue foi publicada na edição dos Rumos Cruzados do dia 9 de Fevereiro de 2012 e continha um dado errado: ao referir que Beatriz Madruga faz parte da comissão dos 260 anos do povoamento açoriano no Estado do Rio Grande Sul. A informante chamou-nos a atenção para esta informação uma vez que não pertence à comissão. Pedimos desculpa por isso aos nossos leitores e à entrevistada Beatriz Madruga.  

 

No passado sábado, dia 4 de Fevereiro, realizou-se na Ilha do Faial, na Sociedade Filarmónica Unânime Praiense, um jantar temático em comemoração aos 260 anos do povoamento açoriano no Estado do Rio Grande do Sul. A iniciativa foi organizada por Beatriz Madruga. Uma imigrante brasileira, nascida neste Estado, na Cidade de Alegrete, e a residir na ilha do Faial desde 2006. Segundo a coordenadora, esta homenagem surgiu através de um projecto realizado em Março do ano passado, a altura em que o seu marido, Genuíno Madruga, o conhecido navegador solitário da Região, foi convidado para fazer uma apresentação do seu recente livro “O Mundo Que Eu Vi”. “Então o meu esposo achou que nada seria mais justo do que levar uma Banda Filarmónica açoriana para o Rio Grande Sul”, acrescentou. A Sociedade Filarmónica Unânime Praiense foi a banda local escolhida para acompanhar o lançamento do livro de Genuíno Madruga. Neste momento estão a ser realizadas diversas actividades com intuito de se angariar fundos para esta viagem e o jantar temático constituiu uma destas acções. Por outro lado, conforme revelou-nos Beatriz Madruga, esta foi também uma oportunidade para se dar a conhecer ao povo local “como os açorianos foram parar tão longe e fundaram uma cidade tão importante do Brasil”. O jantar, que incluiu ementa, música e decoração tradicional Gaúcha, contou com a participação de 150 pessoas. Satisfeita com o resultado da iniciativa, Beatriz Madruga espera continuar a trazer aos açorianos o conhecimento de como foi a saga da colonização sul-brasileira realizada por este povo. Por outro lado, com este projecto, espera levar o povo rio-grandense a conhecer os Açores. “No Rio Grande do Sul, ainda há muita falta de informação sobre o turismo que os Açores oferecem”. Aproveita ainda para agradecer a colaboração da Direcção Regional das Comunidades e da Assembleia Legislativa Regional dos Açores.


 

Publicado: Quinta, 09 Fevereiro, 2012

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter