AIPA

Presidente da AIGAST indignado por Junta de Freguesia do Vale da Amoreira exigir verba para ceder instalações municipais

Eduardo Monteiro, presidente da Direcção da AIGAST - Associação de Imigrantes Guineenses e Amigos Sul do Tejo, com sede no Vale da Amoreira, concelho da Moita, hoje à tarde, no decorrer da cerimónia de assinatura de um protocolo transnacional, expressou a sua indignação pelo facto da Junta de Freguesia do Vale da Amoreira, exigir uma verba de 100 euros, para que a AIGAST possa utilizar instalações municipais, com o objectivo de promover uma actividade destinada a assinalar o Dia da Independência da Guiné- Bissau.

A AIGAST - Associação de Imigrantes Guineenses e Amigos Sul do Tejo, com sede no Vale da Amoreira, concelho da Moita, uma associação sem fins lucrativos que desenvolve um importante trabalho de integração social no Vale da Amoreira, pretende promover um evento para assinalar o Dia da Independência.
Eduardo Monteiro, no decorrer da cerimónia de assinatura de um protocolo transnacional, expressou a sua indignação pelo facto da Junta de Freguesia do Vale da Amoreira, exigir da sua associação o pagamento de uma verba de 100 euros, para utilizar instalações municipais.
“É inadmissível que nos exijam um pagamento para utilizar instalações municipais, onde pretendemos promover uma iniciativa para comemorar o Dia da Independência” – comentou Eduardo Monteiro.
“Nós somos uma instituição que trabalha voluntariamente para a comunidade, e exigem-nos este pagamento, digo isto com muita tristeza” – sublinhou o presidente da Direcção da AIGAST - Associação de Imigrantes Guineenses e Amigos Sul do Tejo.

A Guiné-Bissau, oficialmente República da Guiné-Bissau, foi uma colónia de Portugal desde o século XV até proclamar unilateralmente a sua independência, em 24 de Setembro de 1973, que foi reconhecida internacionalmente - mas não por Portugal.
O reconhecimento por parte de Portugal só veio em a concretizar-se, após a Revoluçãpo de 25 de Abril, no dia 10 de Setembro de 1974.
De referir que a Guiné-Bissau, juntamente com Cabo Verde, foi a primeira colónia portuguesa no continente africano a ter a independência reconhecida por Portugal.

Rostos.pt, 1 de Setembro de 2011.

Publicado: Sexta, 02 Setembro, 2011

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter