AIPA

Oportunidade de negócios motiva entrada de estrangeiros ilegais no país

O clima de paz e as oportunidades de negócios em Angola têm motivado, de certa forma, a entrada massiva de estrangeiros ilegais no território nacional, declarou hoje, no Ambriz, província do Bengo, o segundo comandante-geral da Polícia Nacional, comissário-chefe Paulo de Almeida. O oficial comissário, que falava à Angop, à margem do acto central do 33º aniversário da Polícia de Guarda Fronteira (PGF), sublinhou que tais imigrantes ilegais, maioritariamente oeste africanos, vêm para o país praticar o comércio ilícito e fixarem-se nas zonas diamantíferas. "Tais indivíduos apostam em actividades comerciais ilegais, outros vão para o tráfico de diamantes e até mesmo no tráfico de seres humanos", frisou. Adiantou que a situação económica e social nos países desses imigrantes é difícil, "logo procuram outras latitudes para poderemsatisfazer as suas necessidades vitais e, por outro lado, acreditamos ainda que sejam acções dirigidas para aumentar as receitas nos seus países(...)". Mais adiante disse que "antigamente viamos que todas as direcções iam parar a África do Sul e hoje, com a paz, essa situação virou-se para Angola e as pessoas procuram ganhar oportunidades dos espaços vazios que ainda não estão a ser ocupados pelos próprios angolanos". Segundo a fonte da Angop, para poder conter tal situação, a corporação, em cooperação com outros órgãos, tem apostado na modernização dos seus meios técnicos e humanos para o controlo da fronteira terrestre e marítima. "Há bem pouco tempo desdobramos as nossas forças de fronteira ao longo da fronteira marítima, sobretudo a partir de Cabinda até a foz do rio Kwanza. Portano, estamos a dar cobertura a esta área porque era a direcção de maior penetração ou infiltração dos imigrantes", notou. Reconheceu que controlar uma fronteira tão vasta como a da Angola não é fácil porque requer muitos meios técnicos e recursos financeiros avultados. O comissário-chefe Paulo de Almeida sublinhou ainda que os cidadãos que entram de forma ilegal no país encontram maior facilidade na fronteira norte e marítima, "razão pela qual estamos a desenvolver esforços no sentido de criar condições técnicas e mesmo operacionais para o melhor controlo das nossas fronteiras". Por outro lado, o responsável da polícia angolana fez saber que os cidadãos nacionais que têm dado guarida aos imigrantes ilegais têm sido respnsabilizados criminalmente, de acordo com a lei em vigor do Regime Jurídico de Estrangeiros que tipifica tal prática. Entretanto, o oficial comissário disse que a cooperação entre a Polícia de Guarda Fronteira e o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) no combate à imigração ilegal é salutar. "Estamos bem entrosados, nós somos a parte mais operacional e eles a parte mais administrativa", explicou.

Angola Press, 26 de Agosto de 2011.

Publicado: Segunda, 29 Agosto, 2011

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter