AIPA

AIGAST - Associação de Imigrantes Guineenses e Amigos Sul do Tejo na Moita ajuda jovens a realizar os seus sonhos

“A formação é uma prioridade dos jovens para organizarem a própria vida” – refere Márcia Santos, responsável pelo Departamento de Educação, Formação e Empregabilidade da AIGAST - Associação de Imigrantes Guineenses e Amigos Sul do Tejo, no Vale da Amoreira, concelho da Moita, que nos fala com entusiasmo da experiência vivida por três jovens guineenses, durante uma semana no ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão.
“Eu gostava de dizer a jovens como nós, que apostem no futuro, que não desistam e que continuem a estudar. É importante para um jovem trabalhar para ingressar a Faculdade, apesar de haver muita gente que tem um Curso da Faculdade e não tem trabalho, é importante ter acesso ao Ensino Superior” – sublinha ao Rostos Lourenço Gomes.

A AIGAST - Associação de Imigrantes Guineenses e Amigos Sul do Tejo, tem a sua sede no Vale da Amoreira, no Concelho da Moita.
A associação tem vindo a desenvolver várias dinâmicas e apoios à população local, abrindo perspectivas e ajudando à integração de cidadãos imigrantes na vida local.
Uma recente iniciativa da AIGAST, foi proporcionar a três jovens estudantes o acesso a bolsas de estudo na Universidade Técnica de Lisboa, no âmbito das quais, os três jovens ligados à associação, viveram uma experiência universitária, durante uma semana no Instituto Superior de Economia e Gestão, integrados no Programa "Verão na Técnica".

Um contacto com a vida Universitária

Márcia Santos, responsável pelo Departamento de Educação, Formação e Empregabilidade da AIGAST, referiu que esta acção, realizada em parceria com a Universidade Técnica de Lisboa, teve por objectivo proporcionar aos jovens estudantes – “um contacto com a vida Universitária”,
Recordou que, no âmbito da parceria a Vice Reitora da UTL, Conceição Peleteira, visitou o Vale da Amoreira, onde divulgou os Cursos que estão à disposição dos jovens.
“Quero aqui deixar o meu agradecimento público pela forma como nos apoiou” - sublinha Márcia Santos.
Após a visita, foram disponibilizadas três bolsas de estudo que permitiram aos jovens da AIGAST, a vivência do espírito académico, tomarem conhecimento das matérias ministradas na Universidade, dialogarem com professores, muitos deles figuras conhecidas da vida pública e fazerem novas amizades.
Esta iniciativa teve como objectivo motivar os jovens estudantes a prosseguir os estudos a nível superior e encontrarem perspectivas de escolhas.

Foi uma experiência muito boa

Lourenço Gomes, 24 anos, veio para Portugal com 17 anos, é aluno da Escola Técnica Profissional da Moita, e, foi um dos jovens da AIGAST que participou na Semana Académica.
“Foi uma experiência muito boa” – sublinhou, acrescentando que teve oportunidade através desta sua experiência no ISEG – Instituto Superior d e Economia e Gestão, tomar contacto – “com a área que eu gostava de frequentar ao nível do Ensino Superior”.
“Apesar de ter sido só uma semana nós aprendemos muita coisa” – sublinha.

Experiência que podemos utilizar na associação

Eliseu Sanha, de 21 anos, aluno da Escola Secundária da Baixa da Banheira, veio para Portugal com 15 anos, e, hoje, está mais apostada numa formação na área de Marketing, mas, refere que – “Foi uma boa experiência para mim, aprendi coisas novas, descobri coisas que não sabia”.
“Foi uma semana que me permitiu conhecer pessoas. De manhã tínhamos aulas sobre diversos temas, de tarde fazíamos trabalho de grupos para analisar os assuntos das aulas da manhã” – sublinha.
“Muito do trabalho de grupo que fizemos são ideias que podemos aproveitar para desenvolver aqui na associação do Vale” – refere.

Uma porta aberta ao futuro

Ismaldo Ca, 21 anos, da Escola Secundária da Baixa da Banheira, veio para Portugal com 18 anos, refere que a participação na Semana Académica – “foi muito boa”.
“Gosto deste curso” – sublinha, referindo que essa pode ser uma porta que se abre no futuro, quando tiver que optar pela escolha de um Curso no Ensino Superior.

AIGAST ajuda a integrar

No decorrer da nossa conversa falámos sobra a importância da AIGAST, nas suas vidas.
“A associação ajuda em aspectos sociais, apoia ao nível de estudos e ajuda na integração, estimulando os jovens para que continuem a estudar.
A Associação também ajuda em termos de regularização da nossa situação, tratando de documentos” – referem.

A língua foi primeiro obstáculo

Recordam, na nossa conversa, com alguma timidez, que a integração na sociedade portuguesa foi inicialmente mais difícil devido a – “problemas com a língua e dominar a linguagem”.
“Mas, agora já estamos mais integrados” – sublinham.

Quero voltar ao meu país

Lourenço Gomes, salienta – “Quero voltar ao meu país. Acho que não há melhor coisa que nós estarmos mesmo no nosso país.
Eu quero voltar depois de tirar um Curso Superior”.

Importante ter acesso ao Ensino Superior

No final do nosso encontro ali na sede da associação, no Vale da Amoreira, num ambiente, onde sentimos se vive com muita esperança e vontade de transformar e melhorar o mundo, pedimos aos três jovens bolseiros que transmitissem uma mensagem resultante da experiência que viveram.
“Eu gostava de dizer a jovens como nós, que apostem no futuro, que não desistam e que continuem a estudar.
È importante para um jovem trabalhar para ingressar a Faculdade.
Apesar de haver muita gente que tem um Curso da Faculdade e não tem trabalho, é importante ter acesso ao Ensino Superior” – sublinhou Lourenço Gomes .
“Os jovens devem continuar a estudar para realizar os seus sonhos” – refere com um sorriso e um olhar onde brota uma grande esperança no futuro e o desejo de regressar à sua terra natal.

Rostos, 22 de Julho de 2011.

Publicado: Sbado, 23 Julho, 2011

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter