AIPA

Crise reduz imigração de brasileiros

Fluxo migratório para países ricos cai praticamente pela metade em dois anos, segundo estudo da OCDE.

O número de brasileiros que deixou o país rumo a nações desenvolvidas caiu quase pela metade entre 2006 e 2009, segundo relatório divulgado ontem pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). O período foi marcado pela crise econômica que atingiu sobretudo Estados Unidos e Europa, onde há maior concentração de membros da OCDE. A entrada de imigrantes brasileiros legais nos países do grupo – que foi de 100 mil pessoas em 2005 e 2006 – atingiu o pico de 101,8 mil em 2007 e caiu para 81,7 mil em 2008 e 53,5 mil em 2009. Os números incluem sobretudo pessoas que foram trabalhar ou estudar nos países desenvolvidos. A queda foi puxada principalmente pela redução do fluxo migratório de brasileiros para Espanha e Japão, dois dos países que historicamente mais recebem estudantes e trabalhadores do Brasil, segundo explicou o economista Jean-Christophe Dumont, da OCDE, um dos autores do estudo, à rede “BBC”. A situação na Espanha afetou de modo geral a migração de latino-americanos, que têm o país ibérico como principal destino. De 2007 a 2009, o número de entradas nos países da OCDE caiu 36% – de 511 mil para 327 mil pessoas. A economia espanhola foi uma das que mais sentiu os efeitos da crise mundial.

 

Publicado: Quarta, 13 Julho, 2011

Retroceder

Associe-se a nós AIPA

Agenda

Subscreva a nossa newsletter